quinta-feira, 25 de agosto de 2016

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Lista de livros da FUVEST também mantém autor português e acrescenta autor angolano

A Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular) que seleciona alunos para a USP (Universidade de São Paulo) acaba de divulgar a nova lista de livros obrigatórios para as seleções de 2017, 2018 e 2019. A Fuvest tem mudado a lista a cada três anos.
Do Uol


Confira a lista para os vestibular 2017:
Iracema – José de Alencar;
Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis;
O cortiço – Aluísio Azevedo;
A cidade e as serras – Eça de Queirós;
Capitães da Areia – Jorge Amado;
Vidas secas – Graciliano Ramos;
Claro enigma – Carlos Drummond de Andrade;
Sagarana – João Guimarães Rosa;
Mayombe – Pepetela





Para o vestibular 2018, sai a obra “Capitães da Areia”, de Jorge Amado, e entra “Minha vida de menina”, de Helena Morley. Veja a lista:
Iracema – José de Alencar;
Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis;
O cortiço – Aluísio Azevedo;
A cidade e as serras – Eça de Queirós;
Minha vida de menina – Helena Morley;
Vidas secas – Graciliano Ramos;
Claro enigma – Carlos Drummond de Andrade;
Sagarana – João Guimarães Rosa;
Mayombe – Pepetela


Já no processo seletivo de 2019, a Fuvest mudou a obra de Eça de Queirós: sai “A cidade e as serras” e entra “A relíquia”. Os demais livros são mantidos. Confira a lista completa:



Iracema – José de Alencar;
Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis;
O cortiço – Aluísio Azevedo;
A relíquia – Eça de Queirós;
Minha vida de menina – Helena Morley;
Vidas secas – Graciliano Ramos;
Claro enigma – Carlos Drummond de Andrade;
Sagarana – João Guimarães Rosa;
Mayombe – Pepetela


Autor angolano


Praticamente todos os títulos da lista são de consagrados autores da literatura brasileira ou portuguesa — ou seja, fazem parte do conteúdo esperado para o ensino médio. A surpresa deste ano é a inclusão de uma obra do angolano Pepetela (Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos), que foi guerrilheiro do MPLA, político e governante.


Seu livro Mayombe é “uma narrativa que mergulha fundo na organização dos combatentes do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), trazendo à tona as suas dúvidas, contradições, medos e convicções”, segundo sua descrição no site da Leya, que o edita no Brasil.

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Lista de livros para vestibular da UNICAMP não exclui autores portugueses



A Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest) divulgou nesta terça-feira (2) a nova lista de livros para o vestibular 2017 da Universidade Estadual de Campinas (SP). No total, 12 obras foram selecionadas, incluindo romances, poesia, peças teatrais e contos de autores da literatura brasileira, africana e portuguesa.


No entanto, as novas obras não serão válidas para o vestibular 2016, que será realizado este ano. As duas listas podem ser acessadas na íntegra no site da Comvest.


Listagem própria


Desde o vestibular 2015, a universidade deixou de unificar a lista de livros com a Fuvest e passou a adotar uma listagem própria. A intenção é renovar parcialmente as obras e dar espaço aos professores para o planejamento renovado a cada ano.


Em relação à lista do vestibular 2016, três novas obras serão inseridas, dois romances e uma poesia.


Lista de livros do Vestibular 2017


Poesia

"Sonetos", por Luís de Camões


"Poemas Negros", de Jorge de Lima (novo)


Contos


"Amor", do livro Laços de Família de Clarice Lispector


"A hora e a vez de Augusto Matraga", do livro Sagarana de Guimarães Rosa


"Negrinha", do livro Negrinha de Monteiro Lobato


Teatro


"Lisbela e o Prisioneiro", de Osmar Lins



Romance


"O Cortiço", por Aluísio de Azevedo


"Coração, cabeça e estômago", de Camilo Castelo Branco (novo)


"Caminhos Cruzados", por Érico Veríssimo (novo)


"Til", por José de Alencar


"Memórias Póstumas de Brás Cubas", de Machado de Assis


"Terra Sonâmbula", por Mia Couto

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Revelação de segredos da “guerra contra o terror” provam: militares americanos são psicopatas

Apesar do título, que mais parece uma propaganda do exército  norte-americano (já que na realidade a guerra é contra inocentes civis e não contra o “terror”) o livro HUNTER KILLER – Como os drones revolucionaram a guerra contra o terror escrito por Kevin Maurer e T. Mark McCurley, revela segredos monstruosos relacionados aos ataques por drones.
Oficiais mal preparados brincam com a vida de seres humanos como se estivessem jogando videogame.
Para continuar lendo: Hunter Killer

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

1ª Fase do Modernismo

LISTA DE EXERCÍCIOS – 1º tempo: MODERNISMO

1) (F.C.Chagas-SP) Considerando os acontecimentos da Semana de Arte Moderna e a atitude de seus principais integrantes, é correto dizer que o primeiro momento do Modernismo brasileiro visava:
a)atualizar nossa produção literária, fazendo com que reproduzisse a estética e a temática euramericanas, em vigência desde o início do século.
b)instaurar uma literatura politicamente empenhada e combativa, inspirada no Neo-Realismo e no Neo-Naturalismo.
c)propor um conjunto de normas e de regras literárias, pautadas nos ensinamentos clássicos, que orientassem nossa produção literária.
d)reavivar nossa produção literária, que desde fins do século XIX, com a decadência do Simbolismo, escasseava.
e)combater remanescentes literários retrógrados, representados sobretudo pelo  Parnasianismo, a fim de renovar o curso da literatura que se fazia entre nós.

2) (F.C. Chagas-SP) “O primitivismo, que na França aparecia como exotismo, era para nós, no Brasil, primitivismo mesmo. Pensei, então, em fazer uma poesia de exportação e não de importação, baseada em nossa ambiência geográfica, histórica e social. Como o pau-brasil foi a primeira riqueza brasileira exportada, denominei o movimento do Pau Brasil.”
As idéias do excerto acima associam-se:
a)    ao culto arcádico da natureza.
b)    Ao combate às mazelas sociais denunciadas pelo Naturalismo.
c)    Ao espírito de denuncia próprio de neo-realismo.
d)    Ao nacionalismo da primeira geração modernista.
e)    Às preocupações sociais vigentes no final do movimento romântico.

3) (FCMSC-SP)
3 de maio
“Aprendi com meu filho de dez anos
que a poesia é a descoberta
Das coisas que eu nunca vi.”
(Oswald de Andrade)

As cinco alternativas apresentam afirmações extraídas do Manifesto da Poesia Pau-brasil; assinale  a que está relacionada com o poema “3 de maio”.
a)    “Só não se inventou uma máquina de fazer versos – já havia o poeta parnasiano.”
b)    “... contra a morbidez romântica – pelo equilíbrio geômetro e pelo acabamento técnico.”
c)    “ nenhuma fórmula para a contemporânea expressão do mundo. Ver com os olhos livros.”
d)    “A poesia Pau-Brasil é uma sala de jantar domingueira, com passarinhos cantando na mata resumida das gaiolas...”
e)    “Temos a base dupla e presente – a floresta e a escola.”

4) O escritor modernista Oswald de Andrade, no Manifesto Antropófago (1928), afirma a propósito das relações entre a cultura brasileira e a de nossos colonizadores: Mas não foram cruzados que vieram. Foram fugitivos de UMA CIVILIZAÇÃO QUE ESTAMOS COMENDO porque somos fortes [...]
O texto cria uma aproximação com a carta de Pero Vaz de Caminha, inspirado principalmente na linguagem, como se verifica nos dois primeiros versos.
A característica da obra de Oswald de Andrade comprovada através dessa aproximação é
a) a ruptura com os padrões da língua literária culta.
b) o resgate crítico do passado brasileiro através da paródia.
c) a introdução das correntes de vanguarda nos textos modernistas.
d) a visão ingênua de um Brasil moderno-primitivo.
e) o deboche irônico do mundo dos acadêmicos e dos burgueses.

5) (Fatec) Algumas das características do Modernismo, que também aparecem na poesia de Manuel Bandeira, são:
a) o uso de preciosismos na linguagem e revalorização de temas do passado.
b) a valorização literária da linguagem coloquial e dos fatos do cotidiano.
c) o uso de "barbarismos universais" e do "lirismo bem comportado".
d) o espírito polêmico e o lirismo intimista.
e) a valorização da consciência crítica e a idealização do cotidiano.

6) (Fei) Assinalar a alternativa incorreta, quanto aos princípios básicos divulgados pelos participantes da Semana da Arte Moderna:
a) Desejo de expressão livre e a tendência para transmitir, sem os embelezamentos tradicionais do academismo, a emoção e a realidade do país;
b) Rejeição dos padrões portugueses, buscando uma expressão mais coloquial, próxima do falar brasileiro;
c) Combate a tudo que indicasse o "statu quo", o conhecido;
d) Manutenção da temática simbolista e parnasiana;
e) Valorização do prosaico e do humor, que, em todas as suas gamas, lavou e purificou a atmosfera sobrecarregada pelos acadêmicos.

7) (Uel) O nome de Oswald de Andrade está sobretudo associado
a) a um novo tratamento ficcional do regionalismo nordestino.
b) a poemas líricos que ainda carregam influência simbolista.
c) ao jornalismo político, demolidor, de denúncia social.
d) a um nacionalismo que resgata em sua pureza o indianismo romântico.
e) a uma revolução bem-humorada da linguagem da poesia e do romance.

8) (Uel) "Só me interessa o que não é meu. Lei do homem. Lei do Antropófago."
O fragmento acima é um dos muitos que compõe um importante manifesto modernista, no qual
a) Oswald de Andrade proclama a supremacia criativa do nosso primitivismo sobre a cultura européia.
b) Monteiro Lobato reage violentamente contra uma exposição de quadros de Anita Malfatti.
c) Mário de Andrade busca definir aspectos técnicos da nova estética.
d) Cassiano Ricardo assinala sua adesão ao nacionalismo de características ufanistas.
e) Manuel Bandeira abandona o estilo neo-simbolista e proclama seu lirismo coloquial.

9) (Unirio) Em relação ao Modernismo, podemos afirmar que em sua primeira fase há:
a) maior aproximação entre a língua falada e a escrita, valorizando-se literariamente o nível coloquial.
b) pouca atenção ao valor estético da linguagem, privilegiando o desenvolvimento da pesquisa formal.
c) grande liberdade de criação, mas expressão pobre.
d) reconquista do verso livre.
e) ausência de inspiração nacionalista.

10) (Unesp) "Só a Antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente."

"Única lei do mundo. Expressão mascarada de todos os individualismos, de todos os coletivismos. De todas as religiões. De todos os tratados de paz."

"Tupi, or not tupi that is the question."

            (Fragmento do Manifesto Antropófago de Oswald de Andrade)

Analisando as idéias contidas nesses fragmentos, assinale a única alternativa que julgar INCORRETA.
a) O Manifesto Antropófago de Oswald de Andrade articula-se ao movimento antropófago do Modernismo brasileiro, cuja expressão máxima se deu em "Macunaíma" de Mário de Andrade.
b) Em "Tupi, or not tupi that is the question", está implícita a crítica ao espírito de nacionalidade, falseado pelo estrangeirismo exacerbado entre nós, até os adventos do Modernismo.
c) Ainda nos fragmentos acima citados, deve-se entender não a aversão à cultura estrangeira, mas a dialética de conjunção das raízes nacionais à cultura européia.
d) A leitura dos três fragmentos acaba por desvendar a crítica à cultura brasileira que não estaria muito distante do primitivismo antropofágico.
e) O Manifesto Antropófago propõe a mobilidade cultural advinda da mobilidade do pensamento e dos valores do homem em sociedade.

11) (Ufpe) Leia o texto e indique: (V) Verdadeiro ou (F) Falso
"O céu jogava tinas de água sobre o noturno que me devolvia a São Paulo.
O comboio brecou lento para as ruas molhadas, furou a gare suntuosa e me jogou nos óculos menineiros de um grupo negro. Sentaram-me num automóvel de pêsames."
                        (Oswald de Andrade)
(     ) Seu autor é modernista da última fase, não tendo participado da Semana de Arte Moderna.
(     ) O nacionalismo de Oswald de Andrade foi uma volta ao ufanismo parnasiano, sem perspectiva crítica.
(     ) Principal divulgador da orientação nacionalista primitivista, participou do movimento Pau Brasil e do movimento Antropofágico.
(     ) Oswald de Andrade escreveu os textos mais corrosivos da estética modernista, destruindo os padrões tradicionais de narrativa.
(     ) Como se pode observar no texto, Oswald de Andrade destacou-se pela inovação no uso dos termos com derivações e formações estrangeiras, além de metáforas inusitadas. Sua narrativa estabelece uma mistura entre o descritivo e o narrativo.

12) (Mackenzie) E vivemos uns oito anos, até perto de 1930, na maior orgia intelectual que a história artística do país registra.
                        (Mário de Andrade)
Assinale a alternativa na qual aparece um fato cultural que não se encaixa no período mencionado acima.
a) A exposição de trabalhos de Anita Malfatti, criticada por Monteiro Lobato.
b) O Manifesto Pau-Brasil.
c) As duas "dentições" da REVISTA DE ANTROPOFAGIA.
d) O Verde-Amarelismo.
e) A revista KLAXON.

13) (Fatec) Atente para os trechos seguintes.
I - ... no Brasil, foi uma ruptura, foi um abandono de princípios e de técnicas conseqüentes, foi uma revolta contra o que era a Inteligência nacional.
II - A poesia Pau-Brasil. Ágil e cândida. Como uma criança. (...) O trabalho contra o detalhe naturalista - pela síntese; contra a morbidez romântica - pelo equilíbrio geômetra e pelo acabamento técnico; contra a cópia, pela surpresa.
III - Tanto o índio quanto o próprio Brasil passam a ser vistos como partes de um "paraíso americano", distante da decadência da civilização européia. (...) Na tentativa de definir a etnia brasileira, os escritores (...) constataram que o índio era o verdadeiro representante da raça brasileira, mais que o branco (identificado com o colonizador português).
IV - Queremos luz, ar, ventiladores, aeroplanos, reivindicações obreiras, idealismos, motores, chaminés de fábricas, sangue, velocidade, sonho, na nossa Arte.  E que o rufo de um automóvel, nos trilhos de dois versos, espante da poesia o último deus homérico, que ficou, anacronicamente, a dormir e a sonhar, na era do "jazz-band" e do cinema, com a frauta dos pastores da Arcádia e os seis divinos de Helena!

Desses trechos, traduzem o ideário modernista apenas
a) o II e o III.         
b) o I e o IV.
c) o I, o II e o III.    
d) o I, o II e o IV.
e) o II, o III e o IV.

14) (Ufrs) Assinale a alternativa INCORRETA.
a) Oswald de Andrade, autor do "Manifesto Antropófago", de 1928, compôs também o "Manifesto da Poesia Pau-Brasil", que discute concepções sobre a linguagem poética, a modernização e a cor local.
b) Mário de Andrade dedicou-se à renovação da ficção e da poesia, escrevendo também manifestos, prefácios e livros sobre o Brasil, a respeito dos mais variados assuntos.
c) As propostas do Modernismo, receptivas às diferentes linguagens artísticas, pretenderam discutir os padrões estéticos e culturais brasileiros.
d) O Modernismo, embora aberto à linguagem coloquial, não se opôs aos padrões poéticos e narrativos já consagrados desde o Romantismo.
e) Os poetas das diferentes tendências do Modernismo contribuíram para a inovação formal e temática da poesia brasileira, que posteriormente se aproximou da canção popular.

15) (Uel) Considere as seguintes afirmações sobre a produção literária de Mário de Andrade:
I. Na década de 20, o marco de sua ficção está nessa "rapsódia" em que busca demonstrar não o "caráter do homem brasileiro", mas o aspecto pluralista de nossa cultura, representada pelo mais estranho dos "heróis".
II. Sua poesia chegou a servir, de certo modo, como exemplificação de seus ideais estéticos: veja-se a íntima relação entre o "Prefácio interessantíssimo" e os poemas de PAULICÉIA DESVAIRADA.
III. É enorme o interesse pela cultura popular, e não apenas pelas manifestações artísticas desta: é na linguagem das ruas que vai buscar as bases de uma verdadeira "gramática brasileira".

Está correto o que vem afirmado em
a) I, apenas.
b) I e II apenas.
c) I e III apenas.
d) II e III apenas.
e) I, II e III.

16) (Ufpa) Oswald de Andrade, para sistematizar os princípios da corrente Pau-Brasil, do nosso Modernismo:
a) aproveitou-se exclusivamente das idéias dadaístas.
b) aproveitou-se de aspectos para os quais Pero Vaz de Caminha chama a atenção em sua Carta sobre o descobrimento do Brasil.
c) aproveitou-se das sugestões temáticas que se depreendem das sátiras de Gregório de Matos Guerra.
d) valeu-se de princípios da tradição poética parnasiana.
e) aproveitou a sugestão romântica de libertar a imaginação e a fantasia.

17) (Puc-SP)
“O fazendeiro criara filhos
Escravos escravas
Nos terreiros de pitangas e jabuticabas
Mas um dia trocou
O ouro da carne preta e musculosa
As gabirobas e os coqueiros
Os monjolos e os bois
Por terras imaginárias
Onde nasceria a lavoura verde do café.”

Este poema de Oswald de Andrade exemplifica o movimento nativista... O poeta, através de uma poesia reduzida ao ..., buscou uma interpretação de seu país.
a) Antropófago – visual
b) Verde-amarelo – simbólico
c) Terra Roxa e Outras Terras – discursivo
d) Anta – concreto

e) Pau-Brasil – essencial

2ª Fase do Modernismo - Prosa

LISTA DE EXERCÍCIOS – 2ª FASE DO MODERNISMO

1) (FUVEST) Em determinada época, o romance brasileiro "procurou (...) enraizar fortemente as suas histórias e os seus personagens em espaços e tempos bem circunscritos, extraindo de situações culturais típicas a sua visão do Brasil."
                        ( Alfredo Bosi )
                       
Esta afirmação aplica-se a
a) Vidas Secas e Fogo Morto.
b) Macunaíma e A Hora da Estrela.
c) A Hora da Estrela e Serafim Ponte Grande.
d) Fogo Morto e Serafim Ponte Grande.
e) Vidas Secas e Macunaíma.

2) (UNITAU) O estilo conciso, a linguagem sóbria, a técnica da interiorização e a análise psicológica caracterizam-no, principalmente em sua obra "Angústia".
Trata-se de:
a) Jorge Amado.
b) Érico Veríssimo.
c) Graciliano Ramos.
d) José Lins do Rego.
e) Clarice Lispector.

3) (UFPE) " A natureza representou a afirmação do nacionalismo brasileiro, nos períodos romântico e modernista."
Partindo deste pressuposto, assinale a alternativa incorreta.
a) "O exotismo e a exuberância da natureza brasileira tanto inspiraram os autores românticos quanto os modernistas."
b) "O ufanismo nacionalista foi explorado no Romantismo, enquanto no Modernismo havia, para o nacionalismo, uma perspectiva crítica."
c) "Para os românticos, a natureza exerceu profundo fascínio; nela eles viam a antítese da civilização que os oprimia."
d) "No Modernismo, os princípios nacionalistas defendidos por seus representantes incluíam o culto à natureza, comprometido com a visão européia de mundo."
e) "Nas várias tendências do movimento modernista, a natureza não se apresenta transfigurada, mas real. Os modernistas não se consideravam nacionalistas exaltados só pelo simples fato de serem brasileiros. Antes de mais nada, não tinham medo de falar dos males do Brasil."

4) (UFPE) Nos poemas, contos e romances cuja temática é nordestina, a literatura moderna apresenta a NATUREZA quase sempre inóspita, agressiva. Qual dos fragmentos não justifica esta afirmação?

a) "Chegariam a uma terra desconhecida e civilizada, ficariam presos nela. E o sertão continuaria a mandar gente para lá. O sertão mandaria para a cidade homens fortes, brutos como Fabiano, sinhá Vitória e os dois meninos."            (Graciliano Ramos, em "VIDAS SECAS").
b) "Há uma miséria maior do que morrer de fome    no deserto: é não ter o que comer na terra de Canaã."     (José Américo de Almeida, em "A BAGACEIRA")
c) "Tirei mandioca de chãs que o vento vive a esfolar e de outras escalavradas pela seca faca solar"  (João Cabral de Melo Neto, em "MORTE E VIDA SEVERINA")
d) "Debaixo de um juazeiro grande, todo um bando de retirantes se arranchara (...) Em toda a extensão da vista, nem uma outra árvore surgia. Só aquele velho juazeiro, devastado e espinhento, verdejaria a copa hospitaleira na desolação cor de cinza da paisagem "         (Rachel de Queiroz, em "O QUINZE")
e) "Este açúcar veio de uma usina de açúcar em Pernambuco(...)Este açúcar era cana e veio dos canaviais extensos que não nascem por acaso no regaço do vale."  (Ferreira Gullar em "O AÇÚCAR")

5) (UEL) Na década de 30, revelaram-se escritores que souberam revitalizar as conquistas estéticas e culturais da primeira fase do Modernismo, tais como os autores de
a) SAGARANA e LAÇOS DE FAMÍLIA.
b) MEMÓRIAS SENTIMENTAIS DE JOÃO MIRAMAR e CONTOS NOVOS.
c) TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA e CANAÃ.
d) MENINO DE ENGENHO e O QUINZE.
e) PAULICÉIA DESVAIRADA e MARTIM-CERERÊ.


6) (UECE) É traço do Modernismo brasileiro:
a) o conformismo temático e estilístico
b) rigidez formal, principalmente na poesia
c) apego a temas bíblicos e formas parnasianas
d) liberdade de expressão no conteúdo e na forma

7) (CESGRANRIO) Toda época literária mantém um diálogo com fases anteriores, tanto em relação à escolha temática quanto em relação ao aproveitamento de recursos formais. Qual a observação INCORRETA na relação entre os estilos de época?
a) A poesia da década de 1930 filia-se à experiência do Parnasianismo.
b) O romance de 30 aprofunda a perspectiva do Realismo.
c) A poesia concreta valoriza os processos lúdicos do Barroco.
d) O Modernismo de 22 redimensiona a preocupação nacionalista do Romantismo.
e) A poesia de 45 rompe com a liberdade formal do Modernismo.


8) (UFRS) Assinale a afirmação correta sobre o Romance de 30.
a) Predominou, entre os autores, uma preocupação de renovação estética seguindo os padrões da vanguarda literária européia.
b) Na obra de José Lins do Rego, predomina a narrativa curta na recriação do modo de vida dos senhores de engenho.
c) Os autores, em suas obras, tematizaram os problemas sociais com o intuito de denunciar as agruras das populações menos favorecidas.
d) O caráter regionalista dos romances deste período deve-se à reprodução fiel do linguajar típico de cada região.
e) A obra de Jorge Amado pode ser considerada uma exceção, no conjunto da época, porque seus romances apresentam uma grande inovação na estrutura narrativa.

9) (MACKENZIE) Assinale a alternativa na qual aparece um trecho que NÃO pode ser creditado a qualquer escritor da prosa modernista dos anos trinta.
a) Já não pareciam condenados a trabalhos forçados: assimilavam o interesse da produção. E o senhor de engenho premiava-lhes as iniciativas adquirindo-lhes os produtos a bom preço.
b) Clape-clape. As alpercatas batiam no chão rachado. O corpo do vaqueiro derreava-se, as pernas faziam dois arcos, os braços moviam-se desengonçados. Parecia um macaco. Entristeceu. Considerar-se plantado em terra alheia! Engano.
c) Toda gente tinha achado estranha a maneira como o Capitão Rodrigo Cambará entrara na vida de Santa Fé. Um dia chegou a cavalo, vindo ninguém sabia de onde, com o chapéu barbicado puxado para a nuca, a bela cabeça de macho altivamente erguida, e aquele seu olhar de gavião que irritava e ao mesmo tempo fascinava as pessoas.
d) Explico ao senhor: o diabo vive dentro do homem, os crespos do homem - ou é o homem arruinado, ou o homem dos avêssos. Sôlto, por si, cidadão, é que não tem diabo nenhum. Nenhum! - é o que digo. O senhor aprova? Me declare tudo, franco - é alta mercê que me faz: e pedir posso, encarecido. Êste caso - por estúrdio que me vejam - é de minha certa importância.

e) Antônio Balduíno fala. Ele não está fazendo discurso, gente. Está é contando o que viu na sua vida de malandro. Narra a vida dos camponeses nas plantações de fumo, o trabalho dos homens sem mulheres, o trabalho das mulheres nas fábricas de charuto. Perguntem ao Gordo se pensarem que é mentira. Conta o que viu. Conta que não gostava de operário, de gente que trabalhava.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Exercícios - Período Simples

Exercícios de fixação
1) Identifique e classifique o sujeito das orações em simples, composto, oculto, indeterminado ou oração sem sujeito:
a) Se não pagasse a dívida seria investigado.Exemplo: Sujeito oculto: ele.
b)Antônio Carlos Magalhães e seu ex-genro estão envolvidos neste escândalo.__________________
c) Faz quatro meses que o senador insultou o jornalista.__________________________________
d) O sargento reformado do exército pediu a cassação do mandato de ACM.__________________
e) Falaram sobre Celso Pitta na reunião.___________________________________________
f)  Precisa-se de políticos honestos.____________________________________________________
g) “Penso, logo existo”.(Descartes)______________________________________________
h)  Faz muito frio na Europa._____________________________________________________
i) “Há algo de podre no reino da Dinamarca”.(Shakespeare)_____________________________
j)  Aluga-se este país._________________________________________
k)  Esse esquema de corrupção foi denunciado por Nicéa Pitta._________________________

2)  Classifique o sujeito das orações em:
1-      Sujeito Simples
2-      Sujeito Composto
3-      Sujeito Oculto ou desinencial
4-      Sujeito Indeterminado
5-      Oração sem sujeito

a) Faltou-me coragem naquele momento. (     )
b) Música e literatura fazem bem à alma. (     )
c) Levamos os livros. (      )
d) Levaram os livros. (      )
e) Tomates e vaias choveram sobre o ilustre político.(     )
f) São dez horas. (    )

3) ) Identifique os verbos e classifique-os em verbo intransitivo, verbo  transitivo direto, verbo transitivo indireto, verbo transitivo direto e indireto (bitransitivo) ou verbo de ligação:
a)      O senador enviou um fax ao jornalista da ISTOÉ.
     Enviou: verbo transitivo direto e indireto (bitransitivo).
b) Esta idéia parece genial. ______________________________________________
c) Chegou uma representação contra ACM ao Conselho de Ética. _____________________________
d)  Precisa-se de políticos honestos. ____________________________________________________
e) O senador Antônio Carlos Magalhães xingou o jornalista Tales Faria. _______________________
f) A ex-esposa do prefeito Celso Pitta deu a má notícia aos cidadãos de São Paulo.
__________________________________________________________________

4) Identifique e classifique o predicado das orações em nominal, verbal ou em verbo-nominal:
a)      O senador enviou um fax ao jornalista da ISTOÉ.
      Predicado verbal: enviou um fax ao jornalista.
b)      Os senadores saíram desmoralizados da entrevista.
_________________________________________________________________________
c)      Ocorreram fatos desagradáveis durante o seu mandato.
_________________________________________________________________________
d)     Chegou uma representação contra ACM ao Conselho de Ética.
_________________________________________________________________________
e)      Acho desonesto este comportamento.
_________________________________________________________________________
f)       Estou preocupada.
_________________________________________________________________________
g)      Estou em Jacareí
_________________________________________________________________________

5) Classifique o predicado em: 
1-      predicado verbal;
2-      predicado nominal;
3-      predicado verbo-nominal.
a)      Permanecemos calados. (   )
b)      “Perdi o bonde e a esperança.” C.D. de Andrade (   )
c)      Ninguém gosta de ingratidão. (   )
d)     Ele está exausto. (   )
e)      Os alunos foram informados da alteração. (   )
f)       Os alunos saíram da prova confiantes. (   )

6) A alternativa que classifica incorretamente o predicado é:
a) Os meninos pequenos brincavam no quintal. (predicado verbal)
b) Os pássaros são aves frágeis. (predicado nominal)
c) Os pássaros saíram apressados da gaiola. (predicado verbal)
d) Cedo, os meninos já queriam as bicicletas. (predicado verbal)
e) O ladrão fugiu apavorado. (predicado verbo-nominal)

7) Classifique o predicativo grifado em:(1) predicativo do sujeito; (2) predicativo do objeto
a) (     )Sua fisionomia parecia contraída.
b) (     )Eugênio recebeu triste a morte de Olívia.
c) (     )O relato terminou comprometido.
d) (     )Julgaram Eugênio incompetente.
e) (     )O filho considerava o pai inocente

8) Grife o predicado e classifique-o em PV – verbal; PN – nominal; ou PVN - verbo-nominal:
a) (    ) Alguns alunos consideraram a prova fácil.
b) (     )Alexandre parecia cansado.
c) (     )Seu relato terminou.
d) (     ) O cachorro latia satisfeito.
e) (     ) Deixaram um bilhete para você.
f) (     ) Médicos acham inquietante o quadro clínico.
g) (    ) Chamaram Roberto Jefferson de corrupto.
h) (     ) Os alunos discutiram o mérito deste livro.

9) Classifique os termos grifados em objeto direto, objeto indireto, predicativo do sujeito ou predicativo do objeto:
a) Alguns alunos consideraram a prova  fácil. Exemplo: Objeto direto: a prova; Predicativo do objeto: fácil
b) Os pássaros são aves frágeis. _________________________________________________
c) Os pássaros saíram apressados da gaiola.__________________________________________
d) Cedo, os meninos já queriam as bicicletas.__________________________________________
e) O ladrão fugiu apavorado.__________________________________________________
f) Os cientistas anunciaram a chegada do furacão  para a população norte-americana.
________________________________________________
g) A CPI julgou o réu   culpado.________________________________________
h) Gostamos muito de chocolate.________________________________________
i) O seminarista acredita no poder de Deus._______________________________________
j) Nunca a população tinha visto um furacão desta magnitude!______________________________
l) Todos acharam a prestação de serviços  satisfatória.
________________________________________________________________
m) Paguei ao proprietário o aluguel._____________________________________________

12) Crie objetos diretos ou indiretos para completar os verbos transitivos diretos ou indiretos a seguir:
a) Exemplo: Maria gosta _____de filmes de ficção científica.____
b) Pedro estuda ________________________________________
c) Amanda encontrou_______________________________________
d) Pedro Álvares Cabral descobriu __________________________________
e) O presidente e o ministro da Fazenda conversaram______________________________
f) Os piratas atacaram _____________________________
g) Os eleitores confiaram ____________________________________________________________
h) Considerei desonesto _____________________________________

13) Complete as orações com os verbos haver, fazer ou ser, de modo a construir orações sem sujeito.
a) ______________________ doces deliciosos naquela confeitaria.
b) _______________________tempo que ele saiu.
c) Na Sibéria __________________________ muito frio
d) ____________________ tantos erros assim em meu texto?
e) Em dezembro, _____________ verão no Hemisfério Sul.
f) No Brasil, ________________________ 8000 km de praia.
g) _________________ um calor insuportável.
h) No relógio da igreja, _____________ três horas em ponto.

14) Escreva orações, seguindo as orientações a seguir:
Exemplo: a) sujeito simples + predicado verbo-nominal (verbo transitivo direto + objeto direto + predicativo do objeto)
_______________Marcos acha o amigo dele engraçado________________

b) sujeito indeterminado + predicado verbal (verbo transitivo indireto + objeto indireto)
___________________________________________________________
c) sujeito simples + predicado verbal (verbo transitivo direto + objeto direto)
______________________________________________________________
d) sujeito composto + predicado nominal (verbo de ligação + predicativo do sujeito)
__________________________________________________________
e) sujeito oculto + predicado verbo-nominal (verbo transitivo direto+ objeto direto + predicativo do sujeito)
____________________________________________________________
f) sujeito simples + predicado verbo-nominal (verbo transitivo direto+ objeto direto+ predicativo do objeto)

________________________________________________________________

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Modernismo - 1ª Fase

LITERATURA
1) (F.C.Chagas-SP) Considerando os acontecimentos da Semana de Arte Moderna e a atitude de seus principais integrantes, é correto dizer que o primeiro momento do Modernismo brasileiro visava:
a)atualizar nossa produção literária, fazendo com que reproduzisse a estética e a temática euramericanas, em vigência desde o início do século.
b)instaurar uma literatura politicamente empenhada e combativa, inspirada no Neo-Realismo e no Neo-Naturalismo.
c)propor um conjunto de normas e de regras literárias, pautadas nos ensinamentos clássicos, que orientassem nossa produção literária.
d)reavivar nossa produção literária, que desde fins do século XIX, com a decadência do Simbolismo, escasseava.
e)combater remanescentes literários retrógrados, representados sobretudo pelo  Parnasianismo, a fim de renovar o curso da literatura que se fazia entre nós.

2) (F.C. Chagas-SP) “O primitivismo, que na França aparecia como exotismo, era para nós, no Brasil, primitivismo mesmo. Pensei, então, em fazer uma poesia de exportação e não de importação, baseada em nossa ambiência geográfica, histórica e social. Como o pau-brasil foi a primeira riqueza brasileira exportada, denominei o movimento do Pau Brasil.”
As idéias do excerto acima associam-se:
a)    ao culto arcádico da natureza.
b)    Ao combate às mazelas sociais denunciadas pelo Naturalismo.
c)    Ao espírito de denuncia próprio de neo-realismo.
d)    Ao nacionalismo da primeira geração modernista.
e)    Às preocupações sociais vigentes no final do movimento romântico.

3) (FCMSC-SP)
3 de maio
“Aprendi com meu filho de dez anos
que a poesia é a descoberta
Das coisas que eu nunca vi.”
(Oswald de Andrade)

As cinco alternativas apresentam afirmações extraídas do Manifesto da Poesia Pau-brasil; assinale  a que está relacionada com o poema “3 de maio”.
a)    “Só não se inventou uma máquina de fazer versos – já havia o poeta parnasiano.”
b)    “... contra a morbidez romântica – pelo equilíbrio geômetro e pelo acabamento técnico.”
c)    “ nenhuma fórmula para a contemporânea expressão do mundo. Ver com os olhos livros.”
d)    “A poesia Pau-Brasil é uma sala de jantar domingueira, com passarinhos cantando na mata resumida das gaiolas...”
e)    “Temos a base dupla e presente – a floresta e a escola.”

4) O escritor modernista Oswald de Andrade, no Manifesto Antropófago (1928), afirma a propósito das relações entre a cultura brasileira e a de nossos colonizadores: Mas não foram cruzados que vieram. Foram fugitivos de UMA CIVILIZAÇÃO QUE ESTAMOS COMENDO porque somos fortes [...]
O texto cria uma aproximação com a carta de Pero Vaz de Caminha, inspirado principalmente na linguagem, como se verifica nos dois primeiros versos.
A característica da obra de Oswald de Andrade comprovada através dessa aproximação é
a) a ruptura com os padrões da língua literária culta.
b) o resgate crítico do passado brasileiro através da paródia.
c) a introdução das correntes de vanguarda nos textos modernistas.
d) a visão ingênua de um Brasil moderno-primitivo.
e) o deboche irônico do mundo dos acadêmicos e dos burgueses.

5) (Fatec) Algumas das características do Modernismo, que também aparecem na poesia de Manuel Bandeira, são:
a) o uso de preciosismos na linguagem e revalorização de temas do passado.
b) a valorização literária da linguagem coloquial e dos fatos do cotidiano.
c) o uso de "barbarismos universais" e do "lirismo bem comportado".
d) o espírito polêmico e o lirismo intimista.
e) a valorização da consciência crítica e a idealização do cotidiano.

6) (Fei) Assinalar a alternativa incorreta, quanto aos princípios básicos divulgados pelos participantes da Semana da Arte Moderna:
a) Desejo de expressão livre e a tendência para transmitir, sem os embelezamentos tradicionais do academismo, a emoção e a realidade do país;
b) Rejeição dos padrões portugueses, buscando uma expressão mais coloquial, próxima do falar brasileiro;
c) Combate a tudo que indicasse o "statu quo", o conhecido;
d) Manutenção da temática simbolista e parnasiana;
e) Valorização do prosaico e do humor, que, em todas as suas gamas, lavou e purificou a atmosfera sobrecarregada pelos acadêmicos.

7) (Uel) O nome de Oswald de Andrade está sobretudo associado
a) a um novo tratamento ficcional do regionalismo nordestino.
b) a poemas líricos que ainda carregam influência simbolista.
c) ao jornalismo político, demolidor, de denúncia social.
d) a um nacionalismo que resgata em sua pureza o indianismo romântico.
e) a uma revolução bem-humorada da linguagem da poesia e do romance.

8) (Uel) "Só me interessa o que não é meu. Lei do homem. Lei do Antropófago."
O fragmento acima é um dos muitos que compõe um importante manifesto modernista, no qual
a) Oswald de Andrade proclama a supremacia criativa do nosso primitivismo sobre a cultura européia.
b) Monteiro Lobato reage violentamente contra uma exposição de quadros de Anita Malfatti.
c) Mário de Andrade busca definir aspectos técnicos da nova estética.
d) Cassiano Ricardo assinala sua adesão ao nacionalismo de características ufanistas.
e) Manuel Bandeira abandona o estilo neo-simbolista e proclama seu lirismo coloquial.

9) (Unirio) Em relação ao Modernismo, podemos afirmar que em sua primeira fase há:
a) maior aproximação entre a língua falada e a escrita, valorizando-se literariamente o nível coloquial.
b) pouca atenção ao valor estético da linguagem, privilegiando o desenvolvimento da pesquisa formal.
c) grande liberdade de criação, mas expressão pobre.
d) reconquista do verso livre.
e) ausência de inspiração nacionalista.

10) (Unesp) "Só a Antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente."

"Única lei do mundo. Expressão mascarada de todos os individualismos, de todos os coletivismos. De todas as religiões. De todos os tratados de paz."

"Tupi, or not tupi that is the question."

            (Fragmento do Manifesto Antropófago de Oswald de Andrade)

Analisando as idéias contidas nesses fragmentos, assinale a única alternativa que julgar INCORRETA.
a) O Manifesto Antropófago de Oswald de Andrade articula-se ao movimento antropófago do Modernismo brasileiro, cuja expressão máxima se deu em "Macunaíma" de Mário de Andrade.
b) Em "Tupi, or not tupi that is the question", está implícita a crítica ao espírito de nacionalidade, falseado pelo estrangeirismo exacerbado entre nós, até os adventos do Modernismo.
c) Ainda nos fragmentos acima citados, deve-se entender não a aversão à cultura estrangeira, mas a dialética de conjunção das raízes nacionais à cultura européia.
d) A leitura dos três fragmentos acaba por desvendar a crítica à cultura brasileira que não estaria muito distante do primitivismo antropofágico.
e) O Manifesto Antropófago propõe a mobilidade cultural advinda da mobilidade do pensamento e dos valores do homem em sociedade.

11) (Ufpe) Leia o texto e indique: (V) Verdadeiro ou (F) Falso
"O céu jogava tinas de água sobre o noturno que me devolvia a São Paulo.
O comboio brecou lento para as ruas molhadas, furou a gare suntuosa e me jogou nos óculos menineiros de um grupo negro. Sentaram-me num automóvel de pêsames."
                        (Oswald de Andrade)
(     ) Seu autor é modernista da última fase, não tendo participado da Semana de Arte Moderna.
(     ) O nacionalismo de Oswald de Andrade foi uma volta ao ufanismo parnasiano, sem perspectiva crítica.
(     ) Principal divulgador da orientação nacionalista primitivista, participou do movimento Pau Brasil e do movimento Antropofágico.
(     ) Oswald de Andrade escreveu os textos mais corrosivos da estética modernista, destruindo os padrões tradicionais de narrativa.
(     ) Como se pode observar no texto, Oswald de Andrade destacou-se pela inovação no uso dos termos com derivações e formações estrangeiras, além de metáforas inusitadas. Sua narrativa estabelece uma mistura entre o descritivo e o narrativo.

12) (Mackenzie) E vivemos uns oito anos, até perto de 1930, na maior orgia intelectual que a história artística do país registra.
                        (Mário de Andrade)
Assinale a alternativa na qual aparece um fato cultural que não se encaixa no período mencionado acima.
a) A exposição de trabalhos de Anita Malfatti, criticada por Monteiro Lobato.
b) O Manifesto Pau-Brasil.
c) As duas "dentições" da REVISTA DE ANTROPOFAGIA.
d) O Verde-Amarelismo.
e) A revista KLAXON.

13) (Fatec) Atente para os trechos seguintes.
I - ... no Brasil, foi uma ruptura, foi um abandono de princípios e de técnicas conseqüentes, foi uma revolta contra o que era a Inteligência nacional.
II - A poesia Pau-Brasil. Ágil e cândida. Como uma criança. (...) O trabalho contra o detalhe naturalista - pela síntese; contra a morbidez romântica - pelo equilíbrio geômetra e pelo acabamento técnico; contra a cópia, pela surpresa.
III - Tanto o índio quanto o próprio Brasil passam a ser vistos como partes de um "paraíso americano", distante da decadência da civilização européia. (...) Na tentativa de definir a etnia brasileira, os escritores (...) constataram que o índio era o verdadeiro representante da raça brasileira, mais que o branco (identificado com o colonizador português).
IV - Queremos luz, ar, ventiladores, aeroplanos, reivindicações obreiras, idealismos, motores, chaminés de fábricas, sangue, velocidade, sonho, na nossa Arte.  E que o rufo de um automóvel, nos trilhos de dois versos, espante da poesia o último deus homérico, que ficou, anacronicamente, a dormir e a sonhar, na era do "jazz-band" e do cinema, com a frauta dos pastores da Arcádia e os seis divinos de Helena!

Desses trechos, traduzem o ideário modernista apenas
a) o II e o III.         
b) o I e o IV.
c) o I, o II e o III.    
d) o I, o II e o IV.
e) o II, o III e o IV.

14) (Ufrs) Assinale a alternativa INCORRETA.
a) Oswald de Andrade, autor do "Manifesto Antropófago", de 1928, compôs também o "Manifesto da Poesia Pau-Brasil", que discute concepções sobre a linguagem poética, a modernização e a cor local.
b) Mário de Andrade dedicou-se à renovação da ficção e da poesia, escrevendo também manifestos, prefácios e livros sobre o Brasil, a respeito dos mais variados assuntos.
c) As propostas do Modernismo, receptivas às diferentes linguagens artísticas, pretenderam discutir os padrões estéticos e culturais brasileiros.
d) O Modernismo, embora aberto à linguagem coloquial, não se opôs aos padrões poéticos e narrativos já consagrados desde o Romantismo.
e) Os poetas das diferentes tendências do Modernismo contribuíram para a inovação formal e temática da poesia brasileira, que posteriormente se aproximou da canção popular.

15) (Uel) Considere as seguintes afirmações sobre a produção literária de Mário de Andrade:
I. Na década de 20, o marco de sua ficção está nessa "rapsódia" em que busca demonstrar não o "caráter do homem brasileiro", mas o aspecto pluralista de nossa cultura, representada pelo mais estranho dos "heróis".
II. Sua poesia chegou a servir, de certo modo, como exemplificação de seus ideais estéticos: veja-se a íntima relação entre o "Prefácio interessantíssimo" e os poemas de PAULICÉIA DESVAIRADA.
III. É enorme o interesse pela cultura popular, e não apenas pelas manifestações artísticas desta: é na linguagem das ruas que vai buscar as bases de uma verdadeira "gramática brasileira".

Está correto o que vem afirmado em
a) I, apenas.
b) I e II apenas.
c) I e III apenas.
d) II e III apenas.
e) I, II e III.

16) (Ufpa) Oswald de Andrade, para sistematizar os princípios da corrente Pau-Brasil, do nosso Modernismo:
a) aproveitou-se exclusivamente das idéias dadaístas.
b) aproveitou-se de aspectos para os quais Pero Vaz de Caminha chama a atenção em sua Carta sobre o descobrimento do Brasil.
c) aproveitou-se das sugestões temáticas que se depreendem das sátiras de Gregório de Matos Guerra.
d) valeu-se de princípios da tradição poética parnasiana.
e) aproveitou a sugestão romântica de libertar a imaginação e a fantasia.

17) (Puc-SP)
“O fazendeiro criara filhos
Escravos escravas
Nos terreiros de pitangas e jabuticabas
Mas um dia trocou
O ouro da carne preta e musculosa
As gabirobas e os coqueiros
Os monjolos e os bois
Por terras imaginárias
Onde nasceria a lavoura verde do café.”

Este poema de Oswald de Andrade exemplifica o movimento nativista... O poeta, através de uma poesia reduzida ao ..., buscou uma interpretação de seu país.
a) Antropófago – visual
b) Verde-amarelo – simbólico
c) Terra Roxa e Outras Terras – discursivo
d) Anta – concreto

e) Pau-Brasil – essencial